DÍZIMO PAROQUIAL

O Dizimo é o reconhecimento de que tudo é de Deus

Tudo o que somos é proveniente da vontade de Deus. Tudo o que temos nos foi concedido por Deus. Ser dizimista é devolver a Deus uma pequena parcela de tudo aquilo que Ele nos concedeu com sua bondade divina e infinita, não importando se somos merecedores de tamanha generosidade. Em Gênesis (1, 21-30) a Sagrada Escritura revela que Deus criou o mundo e os concedeu ao homem e a mulher com tudo o que nele existia. Deus doou o mundo para que homem e mulher o governassem. Logo tudo o que nós temos nos foi dado por Deus.

O Dízimo é bíblico

O dízimo não é uma criação da Igreja Católica tampouco é recente. O surgimento do dízimo precede à Igreja, sendo um costume existente há milênios antes de Cristo. A Bíblia já fala sobre o dízimo desde o livro Gênesis, sempre com o sentido de ser uma forma de agradecimento do homem à bondade de Deus. Ser dizimista é atender a um chamado de Deus a viver o amor ao próximo e a partilhar aquilo que d’Ele recebemos.

O Dízimo nos aproxima de Deus

Devolver o dízimo é um ato de fé. Se este ato não estiver pleno de fé em Deus torna-se um ato mecânico, simplesmente comercial, sem valor aos olhos de Deus. Este ato deve se tornar uma oração para o dizimista e sendo feito com amor, agradável a Deus, o dízimo é fonte de bênçãos.

O Dízimo é partilha

A prática da devolução do dízimo engrandece o coração do doador, porque ao partilhar com alegria e com amor o pouco que se tem, se supera o egoísmo. Testemunhar o amor, a fraternidade, a generosidade e a partilha são formas de se encontrar com Deus. O egoísta não sabe ser grato, nem conhece o valor e a alegria da partilha. Os primeiros cristãos nos deram vários exemplos da prática da partilha, quando dividiam tudo o que possuíam com todos os membros da comunidade. Atualmente somos nós os responsáveis por nossa comunidade.

O Dízimo é dever de justiça

Devolver o dízimo é assumir o seu papel de membro ativo da comunidade, sendo co-responsável pelos destinos do lugar onde se vive. É não se omitir diante da responsabilidade assumida pelo sacramento do batismo. A comunidade é formada por todos os seus membros e não só por alguns. O sacrifício deve ser feito por todos e todos devem dividir as tarefas da comunidade.

O Dízimo auxilia a Evangelização

A colaboração realizada por meio do dízimo é fundamental para que a Igreja cumpra sua missão. Desta forma, o dizimista também é um evangelizador. É o dízimo de todos os membros da comunidade que deve prover o desenvolvimento dos trabalhos de evangelização que estão a serviço da missão de Jesus Cristo e a manutenção desta missão.

O Dízimo mantém a Igreja

A devolução do dízimo permite manter a Igreja em sua missão, porque com os recursos adquiridos com o dízimo é que se adquirem velas, flores, bíblias, jornais litúrgicos, hóstias, incensos, vinhos, pagam-se contas de água e energia, honra-se a folha de pagamento, paga-se encargos sociais e tudo que é necessário para se manter o templo. Todos estes gastos estão inclusos na dimensão litúrgica do dízimo.

O Dízimo ajuda a manter a missão

A devolução do dízimo permite contribuir com a manutenção das comunidades mais carentes; com a contribuição do dízimo é possível fazer mensalmente a contribuição com a Arquidiocese de São Paulo. Esta por sua vez, destina seus recursos também para manter as comunidades mais carentes de nossa cidade. Esta é a dimensão missionária do dízimo que contempla um projeto maior de evangelização que é o objetivo e razão da Igreja.

O Dízimo ajuda a promover o ser humano através da prática da caridade

Devolver o dízimo é estar à disposição dos mais carentes, vendo neles o próprio Jesus Cristo. Nossa Paróquia deve dispor de uma parcela do dízimo arrecadado para as obras sociais e assistenciais, com o objetivo de promover o ser humano. A dimensão social do dízimo é que permite que atender aos mais necessitados que procuram auxilio em nossa Paróquia em momentos de necessidade.

O Dízimo sustenta o sacerdote e as vocações

Devolver o dízimo auxilia a manter os sacerdotes que estão na paróquia e as vocações sacerdotais em nossa Arquidiocese. O seminarista deve ser incentivado a manter-se fiel a sua vocação e deve ser ajudado financeiramente no tempo de sua formação.   O dízimo recolhido em nossa Paróquia colabora diretamente com a manutenção dos seminários de nossa Arquidiocese.

Formas de contribuir: 

Para ser tornar dizimista, preencha a ficha de inscrição e envie para o e-mail maedaigreja@uol.com.br

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print